CONTEÚDOS CURRICULARES MÍNIMOS


RETORNAR

PRELIMINARES

              Parte dos problemas associados à formação/evasão, em nível superior, dos estudantes de Química começa no ensino médio, onde os currículos são inadequados, os professores, na maioria, despreparados, desatualizados, mal remunerados e desenvolvendo carga horária semanal elevada; em geral, as condições de trabalho nas escolas são inapropriadas, principalmente com relação a trabalhos experimentais.
              De outro lado, a menor ênfase na formação dos profissionais de Química recai nos estudantes de Licenciatura a quem ou é oferecida formação básica de Química precária ou é negligenciada sua formação pedagógica. Também, devido ao desinteresse pelo magistério no ensino médio, o número de licenciados formados é inexpressivo quando comparado com o dos demais profissionais ou com as oportunidades de trabalho.
              Os currículos dos cursos de Química em suas diversas habilitações foram modificados várias vezes, nos últimos 20 anos, à luz da legislação em vigor, objetivando sempre formar profissionais sintonizados com as necessidades atuais da sociedade. Entretanto, as modificações eram superficiais, limitando-se à inclusão de novas disciplinas, extinção de outras ou apenas realizando remanejamentos nas respectivas grades curriculares. Constata-se que os currículos vigentes na maioria das IES brasileiras formam químicos para o setor industrial e/ou estudantes de pós-graduação. Com a crescente escassez de emprego nas grandes empresas e com a implantação de novos modelos de desenvolvimento, torna-se urgente, também, dirigir a formação dos profissionais da Química no sentido de atribuir-lhes competência técnica para poder empreender o seu próprio negócio e/ou atuar de forma criativa em seu trabalho.
              Dentro do espírito da LDB e demais dispositivos que a regulamentaram, o currículo do curso de Química, sintonizado com o mundo de hoje e do futuro, deve possibilitar a contínua "construção" de um profissional com as competências e habilidades descritas anteriormente.

ESTRUTURA CURRICULAR

              O currículo do curso de Química, nas suas habilitações, a partir das diretrizes curriculares, terá como princípio que o professor não é a fonte principal de informações para os estudantes, mas sim um sistematizador e facilitador de idéias. Em resumo, o professor deve ensinar o estudante a aprender. Além disso, deve ser evitado o simples fornecimento de um número elevado de informações e com pouca ênfase no raciocínio. É importante para o profissional de Química ter uma visão crítica ampla, especialmente dos roteiros experimentais. 
            
  O Curso de Química tem uma estrutura modular que, dentre outras vantagens, fornece um tronco comum, que permite que o aluno faça uma das habilitações e posteriormente a outra. Isto é, uma bagagem mínima de conhecimentos, experiências e testes de habilidades que, orientem sua escolha. Assim o Curso de Química da UFV, tanto na habilitação Bacharelado como na habilitação Licenciatura, terá um grupo de disciplinas constituindo o Núcleo Comum,um grupo dentro da Parte Profissionalizante constituindo o Núcleo de Habilitação e vários grupos, também na parte profissionalizante, de disciplinas optativas com enfoque nas várias áreas da Química. O aluno do Bacharelado cursará as disciplinas optativas em área de sua livre escolha, dentro das disciplinas disponíveis como optativas.  
              Os módulos e conteúdos curriculares são organizados de forma a refletir as características da UFV, os interesses e as capacidades dos estudantes, bem como as características regionais. Neste ponto, as linhas de pesquisa existentes na instituição, o parque industrial regional e os programas de pós-graduação contribuirão para o direcionamento do curso. Assim, os currículos dos cursos de Química (Bacharelado e Licenciatura) serão dinâmicos, flexíveis e adaptados às necessidades e interesses institucionais e regionais,desenvolvendo-se, entretanto, a partir de um conjunto básico de conteúdos.
              O mais importante no currículo não é a quantidade de conteúdo, mas sua articulação em torno da proposta de ensino que: 
   a) defina, claramente, os objetivos do curso; 
   b) estabeleça os conteúdos que delimitem o raio de ação do curso; 
   c) evidencie equilíbrio entre atividades teóricas e práticas; e 
   d) contribua para o desenvolvimento crítico-reflexivo dos alunos. 
O quadro curricular deverá ser composto de:

Conteúdos Básicos ( Disciplinas Obrigatórias):

MatemáticaÁlgebra, funções algébricas de uma variável, funções transcendentais, cálculo diferencial e integral, seqüências e séries, funções de várias variáveis, equações diferenciais e vetores.

FísicaLeis básicas da Física e suas equações fundamentais. Conceitos de campo (gravitacional, elétrico e magnético). Experimentos que enfatizem os conceitos básicos e auxiliem o aluno a entender os aspectos fenomenológicos da Física.

Química (Teoria e laboratório): estrutura atômica; periodicidade química; ligações químicas; forças intermoleculares; ácidos e bases; planejamento experimental (quimiometria); equilíbrio de íons em solução; metodologias de análise (amostragem, tratamento da amostra, avaliação e interpretação de resultados analíticos); análise qualitativa e quantitativa (volumetria, gravimetria, métodos eletroanalíticos, espectroscópicos, p.ex. UV-Vis, IV, RMN, EM, análise térmica, cromatografia e eletroforese); teoria cinética e gases reais; termodinâmica e termoquímica; mudanças de estado (potencial químico, misturas binárias e ternárias); propriedades coligativas; cinética química e catálise; fenômenos de superfície; eletroquímica; elementos e compostos químicos (ocorrência, propriedades, obtenção, aplicações); sólidos (parâmetros reticulares e estrutura cristalina); compostos de coordenação, organometálicos, macro e biomoléculas; mecanismos de reação; operações básicas de laboratório no contexto de experimentos envolvendo a preparação e caracterização de substâncias.

Conteúdos Profissionais ( Disciplinas Obrigatórias e Optativas ):

              Nesta parte residirá a essência diferencial de cada curso. Diante das especificidades regionais e institucionais, a UFV estabelecerá seu currículo com vistas ao perfil do profissional que deseja formar, priorizando a aquisição das habilidades mais necessárias e adequadas àquele perfil. Além disso, ao oferecer conteúdos variados, o estudante poderá, também, selecionar aqueles que mais atendam a suas escolhas pessoais dentro da carreira profissional de Químico, em qualquer das suas habilitações. Além de conteúdos teóricos mais aprofundados,estágios curriculares, projetos de iniciação científica, participação em projetos de pesquisa, conteúdos de legislação (exercício da profissão, segurança e meio ambiente), dentre outros, poderão constar deste segmento curricular.
              Para a Licenciatura em Química, a carga horária de prática pedagógica - no mínimo 400 horas - será incluída no cômputo dos conteúdos profissionais, juntamente com outros conteúdos de formação pedagógica.

Conteúdos Complementares Disciplinas Optativas ):

              Será oferecido um leque abrangente de conteúdos e atividades comuns a outros cursos da instituição para a escolha dos estudantes. Sugere-se, para este segmento curricular, que o aluno curse conteúdos de filosofia, história, administração, informática, instrumental de língua portuguesa e línguas estrangeiras, dentre outros.

Atividades Complementares 

              O estudante será estimulado a buscar atividades acadêmicas e de prática profissional alternativas, atribuindo-se créditos curriculares à participação e à apresentação de trabalhos e/ou resumos em seminários, conferências, semanas de estudos e similares, à publicação de artigos em revistas ou outros meios bibliográficos e/ou eletrônicos especializados, à realização de estágios não curriculares e de atividades de extensão. Para isto o aluno se matriculará na disciplina Atividades Complementares, obrigatória com uma carga horária de 210 h, a ser computada no final do curso, após avaliação de relatório comprobatório de atividades cumpridas no final de cada período e registradas sistematicamente na coordenação do curso. O conceito para esta disciplina será S (Satisfatório) ou N (Não satisfatório).


Parceiros