Apresentação

Histórico

 

A Universidade Federal de Viçosa e o Departamento de Química
A Universidade Federal de Viçosa originou-se da Escola Superior de Agricultura e Veterinária - ESAV, criada pelo Decreto 6.053, de 30 de março de 1922, do então Presidente do Estado de Minas Gerais, Arthur da Silva Bernardes.
A ESAV foi inaugurada em 28 de agosto de 1926, por seu idealizador Arthur Bernardes, que na época ocupava o cargo máximo de Presidente da República. Em 1927, foram iniciadas as atividades didáticas, com a instalação dos Cursos Fundamental e Médio e, no ano seguinte, do Curso Superior de Agricultura. Em 1932 teve início o Curso Superior de Veterinária. No período de sua criação, foi convidado por Arthur Bernardes, para organizar e dirigir a ESAV, o Prof. Peter Henry Rolfs. Também veio, a convite, o Engenheiro João Carlos Bello Lisboa para administrar os trabalhos de construção do estabelecimento.
Visando acelerar o desenvolvimento, em 1948, por ação do Governo do Estado, a escola foi transformada em Universidade Rural do Estado de Minas Gerais – UREMG, que era composta da Escola Superior de Agricultura, da Escola Superior de Veterinária, da Escola Superior de Ciências Domésticas, da Escola de Especialização (Pós-Graduação), do Serviço de Experimentação e Pesquisa e do Serviço de Extensão.
Graças a sua sólida base e a seu bem estruturado desenvolvimento, a Universidade adquiriu renome em todo o País, o que motivou o Governo Federal a federalizá-la, em 15 de julho de 1969, com o nome de Universidade Federal de Viçosa.
O Departamento de Química (DEQ) da UFV é uma unidade da universidade dentro do Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas. O  Departamento é majoritário no oferecimento de disciplinas para três cursos, a saber: Bacharelado em Química, Licenciatura em Química e Engenharia Química, além de oferecer disciplinas também para muitos outros cursos de graduação. O DEQ nasceu praticamente junto com a Escola Superior de Agricultura e Veterinária do Estado de Minas Gerais (ESAV). De acordo com o Art. 12 do regulamento a que se refere o decreto 7323, de 25 de agosto de 1926, que diz “As matérias componentes dos diversos cursos da escola ficarão distribuídas em quinze cadeiras, que constituirão os departamentos de ensino da escola...”. A sétima cadeira é a de Química composta por Química Geral e Inorgânica, Química Orgânica, Química Analítica, Química Agrícola, Noções de Química Biológica e Inspeção e Conservação de Produtos Alimentares. Em 1929, foi aprovado o estatuto da ESAV, que no seu Cap. IV, Art. 26 diz: “As matérias estudadas e ensinadas pela Escola distribuir-se-ão em quinze departamentos” sendo criado o Departamento de Química Agrícola abrigando as áreas de Química Geral e Inorgânica, Química Orgânica, Química Analítica e Química Biológica. Em 1948, com a criação da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG), o Departamento de Química passou a constituir o Instituto de Biologia e Química, situação que perdurou até 1969. Com a criação da Universidade Federal de Viçosa em 1969, o Departamento de Química passa a integrar o Instituto de Ciências Exatas que mais tarde veio a ser o Centro de Ciências Exatas e Tecnológicas no qual o Departamento de Química faz parte até a presente data.
A Universidade Federal de Viçosa vem acumulando, desde sua fundação, larga experiência e tradição em ensino, pesquisa e extensão, que formam o alicerce do seu trabalho e missão.
Desde seus primórdios, a UFV tem se preocupado em promover a integração vertical do ensino. Neste sentido, trabalha de maneira efetiva, mantendo hoje, atualmente, 44 cursos de Graduação e 35 de Pós-Graduação no próprio Campus, seis cursos técnicos e 10 cursos superiores no Campus de Florestal-MG, 10 cursos de graduação e uma Pós-Graduação no Campus de Rio Paranaíba-MG, o Colégio Universitário de Aplicação – COLUNI (Ensino Médio Geral), a Escola Estadual Effie Rolfs (Ensino Fundamental e Médio Geral), que funciona dentro do Campus Viçosa, o Laboratório de Desenvolvimento Humano (4 a 6 anos) e, ainda, a Creche, que atende a crianças de 3 meses a 6 anos.
Por tradição, a área de Ciências Agrárias é a mais desenvolvida na UFV, sendo conhecida e respeitada no Brasil e no Exterior. Apesar dessa ênfase nas Ciências Agrárias, a Instituição vem assumindo caráter eclético, expandindo-se noutras áreas do conhecimento, tais como Ciências Biológicas e da Saúde, Ciências Exatas e Tecnológicas e Ciências Humanas, Letras e Artes. Trata-se de uma postura coerente com o conceito da moderna universidade, tendo em vista que a interação das diversas áreas otimiza os resultados.
A UFV tem contado com o trabalho de professores e pesquisadores nacionais e estrangeiros de renome na comunidade científica, que colaboram com o seu corpo docente, ao mesmo tempo em que executa um programa de treinamento que mantém diversos profissionais se especializando no Exterior e no País. Nesse particular, a UFV é uma das instituições brasileiras com índices mais elevados de pessoal docente com qualificação em nível de Pós-Graduação.
A Universidade tem inúmeros motivos para se orgulhar de seu passado e presente de trabalho, sacrifícios e êxitos e, por isso, sente-se forte e preparada para o futuro, pronta a oferecer soluções que efetivamente colaborem para que o Brasil enfrente, com segurança e dignidade, todas as condições adversas que se antevêem na conjuntura mundial.
 
Apresentação do Curso de Bacharelado em Química
 
A Química esteve sempre presente desde a criação da Instituição, a ESAV-MG 1926, servindo principalmente aos cursos da área agronômica. Por causa desta presença marcante e de sua grande importância no desenvolvimento da instituição, logo após a incorporação da Universidade Rural do Estado de Minas Gerais (UREMG) à Universidade Federal de Viçosa, em 1969, os profissionais envolvidos com o ensino da Química decidiram pela criação do curso de Química. O curso de Química/Bacharelado foi então autorizado pelo Conselho de Ensino Pesquisa e Extensão da UFV em 25/06/1971, constando na ata No 17 daquele conselho e reconhecido pelo MEC através da portaria No 405 de 29/09/1982.
O Departamento de Química, hoje, majoritário no oferecimento de disciplinas do curso de Química, possui um corpo docente de 45 professores, constituído na sua totalidade por professores com doutorado em Química, que atuam em regime de tempo integral e dedicação exclusiva. Oferece em média 50 disciplinas atendendo a aproximadamente 4.000 matrículas por ano. Essas disciplinas são oferecidas para alunos dos cursos de Graduação em Agronomia, Bioquímica, Economia Doméstica, Engenharia Química, Engenharia Agrícola e Ambiental, Engenharia Florestal, Biologia, Engenharia Ambiental, Medicina Veterinária, Nutrição, Engenharia Civil, Engenharia de Agrimensura, Engenharia de Alimentos, Física e Química. São oferecidas 26 disciplinas de Pós-Graduação que atendem aos programas de Mestrado e/ou Doutorado em Agroquímica, Botânica, Ciência e Tecnologia de Alimentos, Ciência Florestal, Entomologia, Fisiologia Vegetal, Fitopatologia, Fitotecnia, Solos e Nutrição de Plantas e Zootecnia. O Departamento de Química possui laboratórios de pesquisa nas áreas de Química Analítica, Química Orgânica, Química Inorgânica e Físico-química, além dos laboratórios destinados, exclusivamente, a aulas práticas das diversas áreas.
São oferecidas aos estudantes várias oportunidades para complementarem sua formação acadêmica, como, por exemplo, por meio de Programas de Iniciação Científica, com bolsas do CNPq ou da FAPEMIG e atividades de monitoria.

Parceiros